FCO injetou R$ 5,2 bilhões na economia da região até setembro

FCO injetou R$ 5,2 bilhões na economia da região até setembro

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Sex, 03 Nov 2017 13:33:00 -0300

Última modificação: Ter, 07 Nov 2017 11:09:36 -0300

Setor rural foi o principal responsável pelo aumento das operações pelo FCO

Crédito: Raphael Ribeiro / Ascom Sudeco

De janeiro a setembro deste ano foram contratados R$ 5,2 bilhões pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), montante 88% maior do que no mesmo período do ano passado (R$ 2,8 bilhões). As operações voltadas para o setor rural atingiram R$ 4,1 bilhões (66,5%) e as dirigidas ao setor empresarial envolveram um volume de R$ 1,1 bilhão (259,9%). Os números mostram que o aumento das operações, especialmente no setor rural, foi o grande responsável pelo resultado positivo.

Em 28 anos de operação, o FCO injetou R$ 67,2 bilhões na economia da região, até setembro, representados por 984,3 mil operações.

Segundo dados constantes dos projetos, essas operações propiciaram a geração e/ou manutenção de cerca de 7,2 milhões de postos de trabalho, entre empregos diretos e indiretos.

Já pelo Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), que financia projetos estruturantes, foram contratados R$ 31,1 milhões entre janeiro e outubro deste ano, para a Companhia Thermas do Rio Quente, objetivando a construção de um hotel e a expansão do complexo existente.   

Além dessa operação, há outros R$ 543,1 milhões em consultas prévias aprovadas, sendo R$ 270 milhões para a CPX - Goiânia S.A.; R$ 231,2 milhões para a ALCOOAD Ind. de Ethanol Ltda e mais R$ 41,8 milhões para o Rio Quente.

 

NOVAS REGRAS

No fim do ano passado, o Ministério da Integração passou a autorizar recursos dos Fundos Constitucionais para capital de giro destinado ao custeio de gastos gerais relacionados à administração dos negócios, decisão que ampliou a procura por financiamentos no setor empresarial. Enquadram-se nessa categoria aluguel, folha de pagamento, despesas com água, energia e telefone, dentre outras. Até então, esses investimentos limitavam-se à aquisição de insumos, matéria-prima e formação de estoque.

Os recursos dos Fundos Constitucionais correspondem a 3% da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Do total, 0,6% são destinados ao FCO. Além disso, os Fundos também são compostos pelo retorno das aplicações, pelo resultado da remuneração dos valores momentaneamente não aplicados e pela disponibilidade de exercícios anteriores.

*Com informações do Ministério da Integração Nacional