Sudeco assina protocolo de intenções com o Banco do Brasil para projeto de microcrédito

Sudeco assina protocolo de intenções com o Banco do Brasil para projeto de microcrédito

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Ter, 28 Nov 2017 14:02:00 -0300

Última modificação: Qua, 29 Nov 2017 08:01:49 -0300

O superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Antônio Carlos Nantes de Oliveira, assinou um protocolo de intenções com o diretor de Governo do Bando do Brasil, João Rabelo Júnior, para cooperação técnica voltada à formulação de políticas de microcrédito, inclusão, educação e cidadania financeira nos municípios do Centro-Oeste, na manhã desta terça-feira (28), na sede da autarquia.

O protocolo também objetiva elaborar um desenho do projeto. Segundo consta no documento, tais iniciativas são de interesse mútuo, da Sudeco e do Banco do Brasil. “Permitindo a Sudeco aumentar o conhecimento sobre suas políticas e atuar na ampliação da inclusão produtiva, e ao BB, ter informações sobre um público específico, buscando meios para incluir no sistema financeiro, de modo responsável, parcelada da população que ainda se encontra apartada desse sistema ou com acesso precário a ele”.

A servidora da Sudeco Valéria Maria Pinheiro, uma das idealizadoras do projeto, considera a parceria um marco para a autarquia. “O programa de microcrédito para o Centro-Oeste representa o lado social da atuação da Superintendência. Surgiu por meio de um trabalho de pesquisa, a fim de pensar em uma política de microcrédito para gerar emprego, renda e para amparar as pessoas que estão em situação de miséria, especialmente os assentados e os quilombolas”, explicou.

Segundo ela, fechar este acordo com o Banco do Brasil, que tem expertise em linhas de crédito e capilaridade a partir da instituição Movera – que trabalha especificamente com microcrédito, será de grande valia para a Sudeco. “A Superintendência sobe de patamar, pois conseguirá chegar aos municípios mais necessitados sem precisar construir centros, sem gastar recursos públicos, aproveitando os funcionários do banco. A autarquia vai conseguir ampliar sua atuação na região por intermédio de agências especializadas”, concluiu.