Fórum do Futuro debate aproveitamento de pequenos lotes com recursos do FCO

Fórum do Futuro debate aproveitamento de pequenos lotes com recursos do FCO

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Qua, 17 Mai 2017 14:40:00 -0300

Última modificação: Qua, 17 Mai 2017 18:04:10 -0300

Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF)

Crédito: Embrapa

RIO VERDE (GO) 17/05/2017 - Durante os debates do seminário que lançou o projeto "Rio Verde, Capital do Futuro Sustentável" a Sudeco levantou o tema da possibilidade do aproveitamento econômico de pequenos lotes de terras inaproveitadas.

A questão foi posta a partir de observação do superintendente Antônio Carlos Nantes de Oliveira, que, nas suas viagens aos municípios do Centro-Oeste, deparou-se com a realidade de pequemos lotes de terrenos não usados ou simplesmente abandonados.

O Instituto Federal Goiano (IFG) respondeu a demanda da Sudeco - colocada pelo chefe de Gabinete, Marcio Scatena Villar, que representou o superintendente no evento - no sentido de que a proposta é perfeitamente possível.

“São geralmente terras públicas. Elas poderiam ser transformadas em unidades produtivas mesmo com a redução de espaço de apenas um hectare em média? ”, questionou Marcio Scatena.

No debate,  a especialista do IFG, Darliane do Castro Santos, que idealizou o projeto Rio Verde - Capital do Futuro Sustentável, respondeu favoravelmente. “É possível através da modelagem da Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), que se torna-se uma alternativa viável de produção para recuperação de áreas alteradas ou degradadas”, explicou ao ressaltar que terras com metade de um hectare também podem ser transformadas.

“Isso possibilita que o solo seja explorado economicamente durante todo o ano, favorecendo o aumento na oferta de grãos, de carne e de leite a um custo mais baixo, devido ao sinergismo que se cria entre lavoura e pastagem”, destacou a especialista.

SERVIÇO

ILPF, O QUE É

O sistema ILPF tem como objetivo a mudança do sistema de uso da terra, fundamentando-se na integração dos componentes do sistema produtivo, visando atingir patamares cada vez mais elevados de qualidade do produto, qualidade ambiental e competitividade.

A ILPF se apresenta como uma estratégia para maximizar efeitos desejáveis no ambiente, aliando o aumento da produtividade com a conservação de recursos naturais no processo de intensificação de uso das áreas já desmatadas no Brasil.

Desta forma, podem-se classificar quatro modalidades de sistemas distintos:

Integração Lavoura-Pecuária ou Agropastoril: sistema de produção que integra o componente agrícola e pecuário em rotação, consórcio ou sucessão; na mesma área e em um mesmo ano agrícola ou por múltiplos anos.

Integração Pecuária-Floresta ou Silvipastoril: sistema de produção que integra o componente pecuário e florestal, em consórcio.

Integração Lavoura-Floresta ou Silviagrícola: Sistema de produção que integra o componente florestal e agrícola, pela consorciação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (anuais ou perenes).

Integração Lavoura-Pecuária-Floresta ou Agrossilvipastoril: sistema de produção que integra os componentes agrícola, pecuário e florestal em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área.  O componente "lavoura" restringe-se ou não à fase inicial de implantação do componente florestal.