No Condel, Sudeco anuncia previsão de liberar R$ 7,2 bilhões pelo FCO até o fim do ano

No Condel, Sudeco anuncia previsão de liberar R$ 7,2 bilhões pelo FCO até o fim do ano

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Ter, 28 Nov 2017 10:19:00 -0300

Última modificação: Ter, 28 Nov 2017 14:52:36 -0300

A 9ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Condel/Sudeco) trouxe o anúncio da previsão de liberação de R$ 7,2 bilhões pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) até o fim deste ano. Em 2017, 37% dessas operações contratadas pelo FCO, por intermédio do Banco do Brasil, foram em munícipios com renda estagnada. Esta é a quinta reunião do Conselho desde que o superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste, Antônio Carlos Nantes de Oliveira, assumiu o cargo, em outubro do ano passado.

Durante o encontro, a Programação do FCO para 2018 foi aprovada, juntamente com os Critérios e Prioridades do Fundo para o próximo ano. O desempenho recorde FCO teve destaque – com volume de operações contratadas de R$ 68,3 bilhões desde a sua criação, em 1989, até outubro deste ano.

De janeiro a outubro de 2017, também houve aumento de 91% nas contratações pelo Fundo em relação ao mesmo período de 2016. Foram fechados R$ 5,9 bilhões neste ano, contra R$ 3,4 bilhões no ano anterior.

Na reunião, o superintendente anunciou a assinatura de um Termo de Cooperação Técnica, junto ao Banco do Brasil, para formular políticas na área de microcrédito. “Tenho certeza que este projeto dará bons frutos a partir dos pequenos empreendedores”, comentou Antônio Carlos.  

Ele falou sobre produções significativas de pequenos produtores em municípios do Centro-Oeste, mesmo sem recursos públicos.  “Estive ontem em Cristalina (GO). Eles produzem uva, maçã, atemoia, mas se deparam com a realidade da falta de recursos, que nós pretendemos ajudar a sanar. Assim como Cocalzinho (GO), que produz vinhos premiados, tão bons quanto os da Serra Gaúcha, mesmo sem um centavo de dinheiro público. Desde que entrei reparo que há tremenda carência em relação a esses recursos”, afirmou.  

O superintendente ainda ressaltou disparidades na área de irrigação. “Em Cristalina (GO), grandes irrigantes ficam com 80% da outorga e os pequenos apenas com 15%. Estamos em contato com o governo estadual para discutir esta questão”, completou.  

No entanto, segundo ele, apesar do corpo técnico qualificado da Superintendência, é preciso ampliar o quadro de servidores para aprimorar a atuação da instituição. “O quadro de servidores da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) e da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) supera em muito o nosso, apesar de termos mais convênios”, analisou.

Antônio Carlos finalizou anunciando um encontro com o presidente da Câmara de Comércio e Desenvolvimento Internacional Brasil - China, Fabio Hu, amanhã, em São Paulo (SP). "Discutiremos a possibilidade de investimentos chineses no Centro-Oeste, acredito que será muito proveitoso".