Esplanada Sustentável

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Sex, 20 Jan 2017 21:21:00 -0300

Última modificação: Sex, 20 Jan 2017 21:26:21 -0300

Cartaz do Projeto Esplanada Sustentável

O Projeto Esplanada Sustentável, instituído pela Portaria Interministerial nº 244, de 06 de junho de 2012, consiste na ação conjunta e coordenada entre o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG); do Meio Ambiente (MMA); do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS); e Minas e Energia (MME), por meio de iniciativas do Programa de Eficiência do Gasto (PEG); da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P); da Coleta Seletiva Solidária; e do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). Tem como objetivo incentivar órgãos públicos federais a adotarem modelo de gestão organizacional e de processos, estruturado na implementação de ações voltadas ao uso racional de recursos naturais, promovendo a sustentabilidade ambiental e socioeconômica na Administração Pública Federal.
O Projeto atende às determinações do Acórdão do TCU nº 1.752/2011 (auditoria operacional), que recomenda: (1) Incentivar os órgãos e instituições públicas federais a adotarem um modelo de gestão estruturado na implementação de ações voltadas ao uso racional de recursos e (2) divulgar as orientações de Programas já existentes no Governo Federal.
De acordo com a Portaria MPOG nº 23, de 12 de fevereiro de 2015, que estabelece boas práticas de gestão e uso de Energia Elétrica e Água, os órgãos e entidades que aderirem ao Projeto Esplanada Sustentável deverão fornecer mensalmente informações referentes ao consumo desses recursos, por meio do Sistema do Projeto Esplanada Sustentável (SisPES), sistema informatizado de monitoramento de despesas. Para tanto, órgãos e entidades deverão efetuar cadastro no SisPES, além disso deverão alimentar o sistema com valores referentes ao consumo de energia elétrica e água mensalmente. Caberão ao MPOG e à Secretaria de Orçamento Federal (SOF) o monitoramento e supervisão do das informações lançadas no sistema e, a partir dos valores fornecidos, os órgãos e entidades serão avaliados e classificados de acordo com sua eficiência:
    • Categoria 1 - Unidades mais eficientes;
    • Categoria 2 - Unidades com eficiência média; e
    • Categoria 3 - Unidades menos eficientes.
Por orientação da Presidenta da República, o PES deverá ser implantado em todos os órgãos do poder executivo a nível nacional. Neste sentido o Ministério da Integração Nacional, por meio do Ofício-Circular nº 01/MI, de 04 de janeiro de 2013 (anexo I), em cumprimento ao que determina a Portaria Interministerial nº 244/2012, solicitou à Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO) indicação de servidor para atuar como líder do PES na Autarquia.
Desta feita, em 31 de julho de 2014, com base na Nota Técnica nº 98/2014 (anexo II), deu-se início ao processo de implantação do Projeto Esplanada Sustentável (PES) no âmbito da SUDECO, explicitando a necessidade de adotar um modelo de gestão mais sustentável. Dando continuidade ao processo, com a Portaria nº 333 de 30 de dezembro de 2014 (anexo III) e atendendo o Decreto nº 8.277, de 27 de junho de 2014, Art. 17, incisos I e III, foi criado o Grupo de trabalho do PES/SUDECO, tendo como coordenadora/líder a servidora Lourdiane Mendes Getro Dias, responsável por garantir internamente o bom gerenciamento do Projeto.
De forma a consolidar o PES/SUDECO, adotou-se como estratégia a motivação e sensibilização dos colaboradores, por meio de campanhas e materiais de divulgação.  Na fase inicial de implantação, foram adotadas como metas de redução as seguintes despesas administrativas: água, energia elétrica, limpeza e conservação, papel e copos descartáveis. Dentre essas, água, energia elétrica e coleta seletiva são obrigatórias. Com o desenvolver do Projeto, atingindo os resultados de economia, espera-se ampliar as metas de redução de despesas.
A metodologia a ser utilizada consiste na coleta de dados sobre despesas, análise de informações de forma de definir indicadores, metas de economia e planos de ação para promover a redução efetiva de gastos.
O lançamento institucional do PES/SUDECO foi realizado durante o Seminário de Conscientização na nova sede, que contou com o apoio de outros grupos como o de Ética e dos Servidores, onde foram ressaltados aspectos relevantes sobre sustentabilidade e sua importância na Administração Pública Federal.
Para fins de gerenciamento de despesas, o PES/SUDECO utiliza do SisPES, cujo acesso é disponibilizado pelo Líder/Coordenador na unidade. As entidades são as estruturas dos órgãos vinculadas à Unidade Orçamentária (UO) que terão suas despesas monitoradas. Faturas mensais do período estabelecido para série histórica. 
Com o apoio da Diretoria de Administração da Sudeco, ações de sustentabilidade poderão ser sugeridas e adotadas.
Mediadas adotadas
ü  Monitoramento de despesas pelo (SisPES);
ü  Torneiras com temporizadores de ciclo de funcionamento, para evitar o desperdício de água;
ü  Sensor de energia em lugares com menos fluxo de pessoas.
ü  Válvulas de descarga com sistema Dual Flux, esse sistema permite dois volumes diferentes de descarga, o maior libera 6 litros de água e o menor 3 litros (metade).
ü  Lixeiras para coleta seletiva coloridas, distribuídas em todos os andares, para recolhimento de materiais que podem ser reciclados. Os principais materiais recicláveis são: papéis, vidros, plásticos e metais;
ü  Orientação dos colaboradores por meio de peças de divulgação do projeto nos ambientes funcionais (com o apoio da Ascom):
Recolhimento e destinação do papel descartado para uma cooperativa em parceria com o condomínio do edifício.
ü  Contrato celebrado entre a SUDECO e a Empresa LAVA AÍ ECOLAVAGEM LTDA, especializada em serviços de lavagem ecológica dos veículos oficiais;
ü  Sistema Eletrônico de Informações - Coordenação Geral de Suporte Logístico e Tecnologia;
ü  Separação de papéis brancos e coloridos e caixas de papelão - Equipe da limpeza;
ü  Disponibilização de bicicletário de uso coletivo e gratuito, em parceria com o condomínio do prédio e demais condôminos.
Medidas sugeridas pelo GTPES/SUDECO
ü  Desligar o ar condicionado quando o ambiente estiver desocupado;
ü  Manter o ar condicionado desligado ou apenas ventilando nos dias frios ou no inverno;
ü  Abolir o uso do copo descartável;
ü  Separar lixo seco e úmido;
ü  Utilizar as escadas entre os pavimentos da Sudeco;
ü  Selo Unidade Parceira do PES (Sendo aprimorado pelo GTPES/SUDECO);
ü  Controle por diretoria para utilizar de forma racional o papel/resma.
ü  Imprimir papéis utilizando o modo frente e verso.
OBS.: O papel impresso frente e verso que será descartado deverá ser armazenado em caixas coletoras localizadas ao lado de cada impressora. O papel impresso em apenas um lado da folha deverá ser reutilizado como rascunho ou bloquinho.
O principal desafio na implantação do PES é promover o engajamento e a integração de todos os agentes envolvidos: alta liderança, gestores e técnicos. Todos devem acreditar e legitimar a adoção de práticas de sustentabilidade e racionalização seja no ambiente profissional, quanto no pessoal. Em segundo lugar sabe-se que a adoção de algumas ações requerem investimentos, o que muitas vezes não é possível em função dos cortes orçamentários. Mas isso não é fator impeditivo. Com criatividade e simplicidade é possível fazer a diferença.